Make your own free website on Tripod.com

         COMPORTAMENTO DO RECÉM-NASCIDO

Your browser doesn't support java1.1 or java is not enabled!

     O recém-nascido não é um organismo passivo e indiferente; em vários aspectos, o recém-nascido é muito competente. Como pode ser atestado por quaisquer pais, o recém-nascido pode espirrar, resfolegar, soluçar, cuspir, chorar, levantar a cabeça, chupar, etc. Embora uma boa parte da atividade motora do recém-nascido seja errática e não esteja sujeita a controle voluntário, um rico repertório de reflexos organizados proporciona ao recém-nascido um repertório de comportamento mais altamente organizado do que inicialmente parece ter.  Num momento o bebê pode estar chorando e esperneando, e alguns instantes depois mergulhar num sono profundo. Ou um bebê adormecido pode literalmente soltar um berreiro inesperado, para ferrar de novo no sono antes que a mãe tivesse tempo de chegar junto dele a fim de ver o que estava acontecendo.

     Poderia se dizer que há três padrões de comportamento básico do bebê: o bebê "normal" e os dois extremos: o bebê hiperativo e o bebê sonolento (hipoativo). Os dois extremos costumam gerar ansiedade nos pais. É IMPORTANTE DEIXAR BEM CLARO QUE OS TRÊS PADRÕES SÃO NORMAIS NO BEBÊ. O bebê hiperativo dorme pouco, chora bastante, exige muito mais desprendimento dos pais para atenderem às suas necessidades; chama também a atenção por apresentar um desenvolvimento psicomotor mais precoce ( aprende a sentar, a caminhar bem antes da maioria das outras crianças). O bebê sonolento (hipoativo) é o extremo oposto do hiperativo (irriquieto): dorme em demasia, tem que ser acordado, muitas vezes, para mamar; os pais relatam que quase não se houve seu choro. O bebê "normal" (ou seja, o comportamento que ocorre na maioria dos bebês) seria o bebê que tem um comportamento intermediário (digamos um comportamento-padrão). Os limites entre um e outro tipo de comportamento são subjetivos; essa subjetividade se tornará mais evidente se deixarmos os pais definir o comportamento dos seus nenês. A ansiedade dos pais muitas vezes prejudica essa avaliação: há pais que se angustiam com qualquer manifestação do nenê, tal como: aqueles "gemidinhos" normais quando se movimentam, aquelas "retorcidas" com vermelhão generalizado, os resmungos do nenê...imaginem, então, quando o nenê chora forte, mesmo por um curto intervalo: é aquele desespero - esse nenê certamente vai ser definido por seus pais como "chorão", "problemático".

VOLTA À PÁGINA ANTERIOR